No Dia Mundial de Combate ao Câncer, HR alerta sobre retardo no diagnóstico da doença

Grupo de orientação do centro de doenças renais completa 1 ano de atuação regional

Número de mulheres com doenças cardiovasculares cresce na região

Humanização hospitalar: Projeto acolhimento é implantado no HR em março

Ver todas

No Dia Mundial de Combate ao Câncer, HR alerta sobre retardo no diagnóstico da doença

 

Levantamento de 2012 aponta que mais de 60% dos pacientes já possuem alta probabilidade ou até confirmação de malignidade

Um estudo feito no ano passado com mais de 2.300 pacientes da região que deram entrada no Hospital Regional do Vale do Paraíba, por meio da Triagem de Oncologia, mostra dados preocupantes sobre a evolução e diagnóstico do Câncer.


A triagem representa a avaliação inicial feita por especialistas para a indicação mais correta de tratamento, por meio da consulta, avaliação de histórico familiar e análise de exames clínicos e complementares. Nesta etapa, foram diagnosticadas deficiências que poderiam agilizar o tratamento de muitos pacientes.


Os indicadores detectaram que 60% dos pacientes encaminhados por outros serviços não possuíam biópsia, na grande maioria apenas exames laboratoriais, o que representa um retardo para o início do tratamento. Os números se mostram mais preocupantes quando ocorre a análise das biópsias, tendo em vista que a confirmação ou a alta probabilidade de malignidade estão presentes em 62,8% dos exames.


A Cabeça e Pescoço é a especialidade mais requisitada com 36,6% dos encaminhamentos, seguida da Urologia (13,6%), Mastologia (13,3%) e Abdome (13,2%). Na prática, foram realizados 842 atendimentos para pacientes com indicação de tumores na região dos lábios, boca, garganta, faringe, laringe, glândulas salivares e, com aumento, glândula tireóide.
O Câncer da Tireóide é tratável, mas, em casos extremos, pode levar à morte. Nas últimas décadas, o tumor da tireóide foi o que apresentou maior crescimento, representando atualmente 1% dos casos notificados no mundo. O grupo de risco inclui as mulheres, os idosos, profissionais expostos à radiação, pessoas com histórico familiar ou que já tiveram alguma doença da tireóide. Entre os problemas detectados estão a falta de informação e de detecção do diagnóstico.


“Apesar de ser uma patologia comum, muitos profissionais de saúde têm dificuldades em realizar o diagnóstico correto, por ser uma área tão específica. Já os pacientes chegam para nós com uma carência muito grande de informação e não imaginam a gravidade a que estão expostos”, explica o Cirurgião de Cabeça e Pescoço e Oncologista do HR, Dr. Caio Lúcio Soubhia Nunes.


As mulheres também são maioria na análise macro dos atendimentos da Triagem, respondendo por mais de 1.320 atendimentos. O Hospital Regional é referência na região em Oncologia, oferecendo tratamento cirúrgico e clínico, com a Radioterapia, Quimioterapia e Hormonioterapia que, juntas, somam mais de 5.700 sessões/mês.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abril/2013

 
Hospital Regional do Vale do Paraíba - Todos os Direitos Reservados - Resolução 1024x768
 
Avenida Tiradentes, 280 - Jardim das Nações, Taubaté /SP - CEP: 12030-180 - Taubaté/SP - Telefone: (12) 3634-2000